domingo, 24 de agosto de 2008

O Vintage e o Retrô na ambientação

Atualmente, os estilos Vintage e Retrô estão com tudo no mercado da ambientação, proporcionando muito charme e elegância nas peças e dando um toque todo especial ao ambiente. Usar móveis e objetos vintages em projetos de ambientação é um dos principais "trunfos" de arquitetos e designers para quebrar o contemporâneo. Na decoração e na moda o termo virou um conceito que está relacionado ao antigo, representando o estilo de uma época. O vintage tem a característica de ser único e, normalmente, custa caro ou muito caro, ou seja, um verdadeiro clássico original, de importância ou qualidade reconhecida. Existem coleções que revisitaram certas décadas, se inspiraram em certas peças vintage, mas, se foi produzido agora, é uma releitura a que denominamos de Retrô. O termo retrô é a reedição do vintage, ou melhor, quando um objeto foi inspirado ou copiado (literalmente) em algo antigo, porém, feito agora, deixando clara a idéia de outra época. Pesquisas comprovam que peças que nos remetam lembranças do passado são sempre bem-vindas, pois se traduzem como solidez familiar na nossa memória afetiva. Quando se trata de uma reedição de um vintage ou o revival de um retrô essas peças aliam bom gosto e conforto porque ambos se baseiam em medidas e estéticas já testadas e aprovadas no passado. Tanto um quanto o outro são tendências que voltam, mas que nunca são iguais, ou seja, elas mudam os acabamentos (tecidos, cores e texturas), as proporções ou até mesmo a conjugação com outros itens. Peças vintage, em geral, custam mais caro que as peças de móveis atuais porque são originais e escassas. Quanto mais raras, mais caras. Já o seu redesign ou releitura pode ser bem mais em conta, pois certamente será fabricado em série. Móveis que seguem esse tipo de tendência podem ser utilizados em qualquer local, com exceção dos quartos de crianças e jovens porque nunca se ligarão numa história que ainda não existe para eles. Sem dúvida, algumas peças vintage podem transformar um ambiente, dando mais estilo e beleza, mas isso é muito pessoal, ou seja, quanto maior tiver sido a convivência da pessoa com algum estilo, mais desejará tê-lo por perto e o resultado será muito rico e satisfatório para o cliente. Certamente, será uma composição apenas com complementos ornamentais vintage. Os móveis "de família" são a melhor referência desse estilo e o conforto é quase sempre certo. Misturar peças de diferentes estilos em um mesmo cômodo é permitido, desde que elas dialoguem de forma tranqüila, com dimensões proporcionais aos ambientes. Mas lembre-se: Não se deve forçar o uso de peças vintage ou retrô por "modismo". O morador deve se identificar com o gênero e sentir-se bem no seu ambiente. Afinal de contas, não é o arquiteto que vai morar lá. Dependendo da preferência e ousadia do morador e da intenção do arquiteto, o contraste e a harmonia de estilos podem proporcionar excelentes resultados. Em todo caso, o melhor é evitar utilizar apenas peças clássicas na ambientação. Isso faz parte do passado e corre um sério risco de ficar cansativo. O ideal é usá-las apenas como detalhes.
Coluna Top Decor – Jornal Diário do Pará 24/08/08

2 comentários:

Rita Arantes disse...

Herdei da minha avó alguns móveis bem antigos como umas poltronas e um móvel bem grande, tipo uma penteadeira, só que bem maior, entre outros. Como faço para usar no meu apartamento sem ficar muito amontoado nem com cara de "museu"? Meu apartamento não é muito grande. O que posso fazer? Os móveis até que estão em bons estados, só precisando de um polimento ou envernizamento. Help-me!

Allan Feio disse...

Oi Rita,
pelo que entendi, você possui algumas peças vintages. Em primeiro lugar elas devem estar em um bom estado, para não comprometer a sua decoração. Caso precise de reparos, procure bons profissionais para não correr risco de ter uma peça como esta danificada. Depois, deve-se ter prudência na decoração, pois como você mesmo disse, ela pode ficar com cara de "museu". O ideal é mesclar móveis atuais com as clássicas. Por exemplo: um sofá contemporâneo com as cadeiras que você disse possuir. Vai ficar bem agradável. Quanto ao outro móvel que descreveste, pode ser que seja uma chapeleira ou uma cristaleira. Em todo caso pode-se usar na sala como uma peça de destaque, em uma parede isolada.
Qualquer outra dúvida é só escrever. Agora é com você!